rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
COLUNA TEATRO  
Marcelo Aouila marcelo@aouila.com.br
rioecultura Coluna TEATRO: Chão de Estrelas

“Quanto riso, oh, quanta alegria / Mais de mil palhaços no salão / Arlequim está chorando / Pelo amor da Colombina / No meio da multidão”

Quando fui a Porto de Galinhas, me apaixonei por um palhaço de cerâmica à venda numa loja. Havia mais 6, em posições diferentes. Mas o preço... Nas alturas. Não dava pra trazer todos. Trouxe um, no meio das pernas, do avião da falecida VARIG. Hoje, o palhacito habita minha sala. De lá pra cá, alguns palhaços vieram para completar a decoração. Lembro d’um filme onde Jarry Lewis, de palhaço, faz de tudo para animar as crianças. E nada. Aí... ele chora... e a meninada se esbalda... Na verdade o filme é trágico (pano rápido!) - O dia que o palhaço chorou – livre tradução do título.

Nunca me vesti de palhaço no carnaval. Se sim, que provem! Aproveito para fazer uma confissão: sonho ainda, em fugir com um circo, quando nada mais me restar... E passar a vida mambembando por aí, alegrando crianças de 8 a 80 anos, com o rosto pintado de branco e o nariz vermelho na frente, escondido atrás da máscara, feliz da vida.

rioecultura Coluna TEATRO: Chão de Estrelas

Está em cartaz no Teatro dos Quatro, terças e quartas, a comédia romântica musical “Chão de Estrelas”, que conta um momento, uma passagem, na vida de um palhaço e uma bailarina, artistas de rua, que se encontram numa praça, ou em algum lugar de uma grande cidade. Enquanto isto... vão contando a um público imaginário (a plateia), uma história de amor, encontro, desencontros, revelações, tristezas e alegrias, através das mais importantes músicas da MPB no Rio Antigo. Linda, a bailarina, e Dom, o palhaço, são personagens de um roteiro muito bonito e criativo de Marcelo Albuquerque.

Ao longo das 64 músicas do repertório, ora trechos, ora completa, Sabrina Korgut e Tiago Higa dão show de simpatia, competência vocal, preparo físico e interpretação. Sabrina já acompanho desde a Ópera do Malandro e desde então vou sempre ao teatro quando ela está no palco! Sua bailarina é delicada, forte, animada, decidida. Aproveita cada nota musical para dar vida a Linda. Tiago é uma grata surpresa. Não lembro de tê-lo visto ainda em cena e sua presença, seu palhaço Dom, é daqueles para se colocar na estante de casa, puxar a cordinha e ouvi-lo cantar o tempo todo. A dupla é generosa e está unida para que o espetáculo saia perfeito. Aplausos!

rioecultura Coluna TEATRO: Chão de Estrelas

A cenografia, de Reinaldo Patrício, deixa livre o palco para que os artistas de rua façam as piruetas, contem seus dramas. Dois postes, um latão de óleo, uma cortina de luzes, um voil preto que nos faz imaginar um sonho e, o mais bonitinho de tudo, a cerquinha de madeira branca que limita a área dos músicos. Como se fosse um coreto de praça. O figurino, também de Reinaldo, é bastante colorido, como pedem aqueles que vivem da arte de encantar crianças e adultos nas ruas da cidade. A luz de Leandro Mariz é linda! Aproveitando bem cada momento, cada foco, cada música para valorizar o espetáculo. A direção musical de Tony Luchesi é rica em detalhes harmônicos.

No comando deste recital, Rubens Lima Junior, que vem se firmando como um dos mais aplaudidos, seguidos e valorizados diretores de teatro do Rio de Janeiro. Seu trabalho, tanto na Uni Rio com os grandes musicais quanto os intimistas, é sempre um primor. Como não podia deixar de ser, Rubens contribui com segurança para que números musicais, atuações, marcas e ritmo estejam em harmonia.

Nesta época em que a palavra de ordem é Crise, Corte de Gastos, Desemprego e afins, a música Marcha da Quarta-feira de Cinzas, nos diz que “E no entanto é preciso cantar / Mais que nunca é preciso cantar / É preciso cantar e alegrar a cidade”. E é justamente isto que “Chão de Estrelas” faz: alegra a nossa cidade. Mostra que é possível produzir um musical de bom gosto com qualidade e economia, onde o mais importante é fazer as pessoas saírem felizes e emocionadas do teatro, esquecendo, por alguns momentos, a vida dura cotidiana. Viva “Chão de Estrelas”!

rioecultura Coluna TEATRO: Chão de Estrelas
compartilhe subir a página
Postagens

Julio Biar [MPB]

Leo Ladeira [Patrimônio Histórico]

Marcelo Aouila [Teatro]

Seu nome:

Comentário:

Observação:
Verifique o texto antes de enviá-lo, pois não será possível modificá-lo ou apagá-lo após o registro.

ATENÇÃO: O seu comentário não será postado automaticamente. Ele passará por uma aprovação antes de ser publicado.



Seja o primeiro a comentar!
Escreva ao lado sua opinião.

Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem:
Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
 
  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura