rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
COLUNA PATRIMÔNIO HISTÓRICO
Leonardo Ladeira ladleo@gmail.com
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Palácio Gustavo Capanema

No último cinco de dezembro, o Brasil perdeu o maior arquiteto de sua história. Oscar Niemeyer morreu aos 104 anos deixando um acervo de mais de 600 projetos arquitetônicos, entre palácios, igrejas, museus, prédios públicos e privados.

Oscar Niemeyer Soares Filho nasceu em 1907, no Rio de Janeiro. Se formou, em 1934, como engenheiro arquiteto, pela Escola Nacional de Belas Artes. Iniciou sua vida profissional em 1935, no escritório de Lúcio Costa, onde conheceu Le Corbusier e Gustavo Capanema. Em 1936, participou da equipe do projeto do Ministério da Educação e Saúde (atual Palácio Gustavo Capanema). Em 1939, projetou, ao lado de Lúcio Costa, o Pavilhão do Brasil na Feira Mundial de Nova York.

rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Palácio Gustavo Capanema

Em 1940, conheceu o então prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitschek, que o convida a projetar o Conjunto da Pampulha. Viajou pela primeira vez à Europa em 1954, quando participou do projeto para reconstrução de Berlim. Em 1956, foi encarregado de organizar o concurso para a escolha do Plano-piloto de Brasília, participando também da comissão julgadora. A arquitetura de Brasília, prevista nos esboços com que Lucio Costa concorreu ao concurso internacional de projetos para a nova capital do Brasil, foi o impulso definitivo de Niemeyer na cena da história internacional da arquitetura contemporânea.

Oscar Niemeyer recebeu diversos prêmios ao longo de sua carreira, como o Pritzker de Arquitetura e a Medalha do Conselho Artístico da Unesco.

Oscar Niemeyer e o Rio de Janeiro

rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Palácio Gustavo Capanema

Reconhecido internacionalmente, Oscar Niemeyer deixa um legado de importantes obras em sua cidade natal, o Rio de Janeiro.

Do brise-soleil da Obra do Berço, na Lagoa - seu primeiro projeto individual a ser construído, até as curvas da passarela da Rocinha, sua construção mais recente na cidade, ele brindou a Cidade Maravilhosa com verdadeiras obras de arte.

A Coluna Patrimônio Histórico faz um passeio pelo acervo do arquiteto na cidade do Rio de Janeiro e convida seus leitores a apreciarem a obra desse mestre da arquitetura moderna.

Palácio Gustavo Capanema - antigo Ministério da Educação e Saúde (1936)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Palácio Gustavo Capanema

Em 1936, Oscar Niemeyer integra a comissão criada para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde (MES), no Rio de Janeiro, com a supervisão do arquiteto franco-suíço Le Corbusier, a quem assiste, como desenhista. Baseado no projeto do arquiteto, Niemeyer sugere alterações que são adotadas na construção do edifício.
Rua da Imprensa, 16 – Centro.


Obra do Berço (1937)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Obra do Berço

Primeiro projeto construído de Oscar Niemeyer. Destinava-se a servir de sede a uma instituição filantrópica de atendimento à primeira infância. O tratamento da fachada principal, com seus quebra-sóis móveis verticais e o volume compacto sobre pilotis, faz referência ao estilo de Le Corbusier. Como se tratava da creche de uma instituição filantrópica, Niemeyer não cobrou pelo projeto e ainda pagou o serviço de recolocação dos brises da fachada.
Rua Cícero Góis Monteiro, 19 – Lagoa.


Banco Boavista (1946)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Banco Boavista

Considerada uma das mais significativas e bem resolvidas obras da arquitetura moderna brasileira. Destacam-se a parede de tijolos de vidro contornando os pilotis e os quebra-sóis móveis.
Praça Pio X, 118 - Centro.


Prédio dos Diários Associados (1949)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Prédio dos Diários Associados

Projetado por Niemeyer para ser a sede de importantes veículos de comunicação da época, como a revista O Cruzeiro, está localizado na Saúde, e foi tombado em 1988. Preserva características da arquitetura moderna, como os cobogós (elementos vazados de cerâmica que proporcionam a entrada de ar e luz natural) e o terraço-jardim (que recupera o solo perdido, levando o jardim para a cobertura).
Rua do Livramento, 189 – Saúde.


Casa das Canoas (1951)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Casa das Canoas

A Casa das Canoas foi projetada em 1951 e construída em 1953 por Oscar Niemeyer para sua residência, na Estrada das Canoas, em São Conrado. O estilo modernista do arquiteto está presente em todos os detalhes da obra: concreto armado, lajes suspensas sobre pilares esguios, grandes áreas envidraçadas, despojamento, ausência de elementos decorativos, curvas orgânicas, valorização dos espaços amplos, mobília minimalista e esculturas para valorizar o projeto.
Estrada das Canoas, 1246 - São Conrado.


Hospital da Lagoa (1952)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Hospital da Lagoa

Projetado por Niemeyer e Hélio Uchôa, é o primeiro edifício no Rio onde aparecem as colunas em ‘V’. A proporção dos V´s reforça o contraste entre os pilares e a massa que suportam, recurso empregado por Niemeyer em diversos projetos.
Rua Jardim Botânico, 501 - Jardim Botânico.


Fundação Getúlio Vargas (1955)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Fundação Getúlio Vargas
Foto: Daniela Pessoa, para Veja Rio

Nele estão presentes elementos característicos da obra de Niemeyer, tais como fachada em curtain wall e os pilotis com pilares em "V", que dão a impressão que o prédio flutua sobre o embasamento.
Praia de Botafogo, 190.


Igreja de São Daniel Profeta (1960)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Igreja de São Daniel Profeta

Igreja de nave circular projetada por Oscar Niemeyer e construída em 1960, atendendo ao apelo da então primeira dama do Estado da Guanabara, senhora Sette Câmara. Hoje, despojada das obras de arte, encontra-se em mau estado de conservação. Cercada atualmente por várias favelas, a igreja foi erguida numa época em que Manguinhos ainda era pouco habitada. No entanto, a criminalidade e o tráfico se apoderaram do local, fazendo com que a obra do famoso arquiteto fosse alvo constante de bandidos. Quatorze quadros da Via Sacra, pintados em 1961 por Alberto da Veiga Guignard, a pedido de Niemeyer, e uma estátua de São Daniel, o profeta, feita em um molde criado por Aleijadinho, estão desaparecidos.
Favela Parque São José (Presidente João Goulart) – Manguinhos.


Edifício-sede da Manchete (1966)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Edifício-sede da Manchete

O Edifício-sede da Bloch Editores foi projetado por Niemeyer e desenvolvido pelo departamento de arquitetura da empresa Bloch. No paisagismo colaborou Roberto Burle Marx, no terraço e muro escultórico.
Rua do Russell, 804 – Glória.


Hotel Nacional (1968)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Hotel Nacional

A torre circular do hotel é um marco na paisagem de São Conrado e o primeiro prédio em grandes dimensões daquele bairro. O edifício foi pensado como um contraponto escultórico à exuberante paisagem litorânea. Em seu teatro se apresentaram artistas como Liza Minnelli e B. B. King.
Avenida Niemeyer, 769 – São Conrado.


Sambódromo (1983)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Sambódromo

A Passarela Professor Darcy Ribeiro, popularmente conhecida como Sambódromo, foi projetada por Niemeyer em 1983, por encomenda do Governo do Estado do RJ, visando a dotar a cidade de um equipamento urbano permanente para a exibição do tradicional espetáculo do desfile das escolas de samba. Além de abrigar o desfile das Escolas de Samba, a passarela do samba já foi palco de outros acontecimentos, como shows de música, cultos evangélicos, entre outros eventos.
Rua Marquês de Sapucaí - Catumbi.


CIEPs (1985)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - CIEP

Os CIEP´s (Centros Integrados de Educação Pública) são um projeto educacional de autoria do antropólogo Darcy Ribeiro, implantado inicialmente no estado do Rio de Janeiro, no governo de Leonel Brizola. Partindo da ideia de utilizar a técnica do concreto pré-moldado, que possibilita montar cada CIEP como um jogo de armar, em um prazo de apenas quatro meses, Oscar Niemeyer criou para os CIEP´s () do Rio de Janeiro, um projeto-padrão que é 30% mais barato que uma obra que utilize a técnica convencional de fazer a concretagem no próprio local de construção. Pela concepção de Niemeyer, cada CIEP é composto por três construções distintas: o Prédio Principal, o Salão Polivalente e a Biblioteca. O primeiro CIEP foi batizado com o nome do presidente Tancredo Neves.
CIEP Tancredo Neves: Rua do Catete, 77 – Catete.


Passarela da Rocinha (2010)
rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: O Legado de Oscar Niemeyer ao Rio de Janeiro - Passarela da Rocinha

Projetada por Oscar Niemeyer, que idealizou curvas semelhantes às do arco da Praça da Apoteose, a Passarela da Rocinha foi construída com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Possui uma pista de quase 60 metros de extensão, com três rampas de acesso: uma sai da comunidade e duas ficam do outro lado da Estrada Lagoa-Barra. A passarela liga a comunidade ao complexo esportivo da Rocinha.




Fontes de Consulta:
- Guia da Arquitetura Moderna no Rio de Janeiro. Autor: Czajkowski, Jorge. Editora: Casa da Palavra.
- Website Fundação Niemeyer.
- Oscar Niemeyer – Pensamento e Obra.
- Flickr Radames Manosso.
- Arquitetura do CIEP – PDT.
- OSCAR NIEMEYER - Arquitectura Viva.
- Enciclopédia Itaú Cultural de Artes Visuais.
compartilhe subir a página
Postagens

Julio Biar [MPB]

Leo Ladeira [Patrimônio Histórico]

Marcelo Aouila [Teatro]

Seu nome:

Comentário:

Observação:
Verifique o texto antes de enviá-lo, pois não será possível modificá-lo ou apagá-lo após o registro.

ATENÇÃO: O seu comentário não será postado automaticamente. Ele passará por uma aprovação antes de ser publicado.



Seja o primeiro a comentar!
Escreva ao lado sua opinião.

Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem:

Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura