rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
COLUNA PATRIMÔNIO HISTÓRICO
Leonardo Ladeira ladleo@gmail.com
O Primeiro Arranha-Céu do Rio de Janeiro

rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: Edifício A Noite

Vamos conhecer a história de um marco da engenharia nacional: o Edifício A Noite, o primeiro arranha-céu do Rio de Janeiro e um precursor do concreto armado e do Art Déco na cidade.


rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: Edifício A Noite

Quando os navios ancoravam no Pier Mauá, no Centro do Rio, no início do século XX, os visitantes se deparavam com um edifício de estrutura arrojada, que se destacava por sua imensa massa vertical: o Ed. A Noite.


rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: Edifício A Noite

Construído em 1929, o Ed. A Noite foi o primeiro arranha-céu da cidade e a maior construção em concreto armado da época. O projeto estrutural foi assinado por Emílio Baumgart e o arquitetônico por Elisiário da Cunha Bahiana e Joseph Gire, o mesmo autor do Copacabana Palace.


rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: Edifício A Noite

O edifício viveu nas décadas de 40 e 50, o apogeu da Rádio Nacional. Enquanto os auditórios eram tomados por populares, os restaurantes do terraço e térreo eram freqüentados pela elite carioca. Ali também funcionava o Jornal A Noite.


rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: Edifício A Noite

Marco da engenharia nacional, a partir do Ed. A Noite o perfil da cidade passaria a ser menos europeu e mais americano.


rioecultura - Coluna Patrimônio Histórico: Edifício A Noite

São 22 andares, correspondentes a 30 de um prédio moderno. Aqui vê-se o contraste entre o Ed. A Noite e o pós-moderno Ed. RB1, de 1990.




Edifício A Noite
Praça Mauá, 7 – Centro – Rio de Janeiro.

Fotos:
Site Foi um Rio que Passou
Acervo Rádio Nacional
Leo Ladeira (fotos atuais)

Fontes de Consulta:
* Guia da arquitetura art deco no Rio de Janeiro. Por Jorge Czajkowski, Centro de Arquitetura e Urbanismo
* Site Foi um Rio que Passou
* Revista Viver Cidades
compartilhe subir a página
Postagens

Julio Biar [MPB]

Leo Ladeira [Patrimônio Histórico]

Marcelo Aouila [Teatro]

Seu nome:

Comentário:

Observação:
Verifique o texto antes de enviá-lo, pois não será possível modificá-lo ou apagá-lo após o registro.

ATENÇÃO: O seu comentário não será postado automaticamente. Ele passará por uma aprovação antes de ser publicado.



Elisiário da Cunha Bahiana tb assinou alguns projetos em São Paulo. Um lindo exemplo é o prédio João Brícola, conhecido popularmente como Mappin.
  Postado por: Glaucia Garcia
  em: 2012-04-09 00:06:32

Acho estranho que o Edifício A Noite tendo sido construido em 1929/30 tenha abrigado o jornal A Noite que foi extinto em 1925. PODEM ME EXPLICAR ?
  Postado por: ailtonrp@yahoo.com.br
  em: 2012-12-01 11:17:30

O jornal A Noite não foi extinto em 1925, pois tenho um exemplar de 1933 onde meu avô encontra-se noticiado na capa da segunda edição.
  Postado por: Rebecca Dias
  em: 2016-08-19 00:28:29

NOTA DA COLUNA: Caro Ailtonrp, segundo informações do CPDOC/FGV, o jornal A Noite teve quatro fases (funcionando de 1911 a 1957). A primeira fase durou de 1911 a 1925, quando seu proprietário, Irineu Marinho, achando-se doente e de partida para a Europa, passou suas ações para Geraldo Rocha, que elegeu nova diretoria, dando início a uma nova fase do jornal. A Noite passaria por novas fases até que, em dezembro de 1957 sairia de circulação definitivamente.
  Postado por: Leonardo Ladeira
  em: 2016-08-23 09:19:16


Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem:

Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura