rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
COLUNA PATRIMÔNIO HISTÓRICO
Leonardo Ladeira ladleo@gmail.com
Jóia encravada no subsolo do Theatro Municipal

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

Um dos tantos tesouros do Theatro Municipal do Rio de Janeiro não está visível na suntuosa Sala de Espetáculos ou nas elegantes rotundas que há tantas décadas encantam os visitantes desse patrimônio cultural brasileiro.

O Salão Assyrio (muitas vezes também chamado de Assyrius) está localizado sob a plateia, no subsolo do teatro, e é uma das preciosidades do Municipal que não podem deixar de ser conhecidas pelos turistas.

No Salão Assyrio foram realizados os primeiros grandes bailes de máscaras do Municipal. Ali também funcionou o museu do teatro e até um cabaré, onde se apresentou Pixinguinha e o grupo Os Oito Batutas.

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

Depois da restauração do Theatro Municipal de 1976 a 1978, o espaço voltou a funcionar como restaurante.

Mosaicos

O encanto do Assyrio tem início nos vestíbulos, onde se vêem oito quadros de mosaico de Gian Domenico Facchina, que representam cenas de peças famosas da Dramaturgia universal. O mosaicista italiano Gian Domenico Facchina foi ativo na segunda metade do século XIX e teve trabalhos realizados na Ópera de Paris, no Louvre, no Petit Palais, no Trocadero, na École des Beaux-Arts e na Igreja de Sacre-Coeur, entre outros lugares.

Segundo Henrique Gougon, autor do artigo ‘Gian Domenico Facchina: da Ópera de Paris ao Municipal do Rio’, publicado na revista eletrônica Mais Passeio, “o Ateliê Facchina é que vai atender a demanda feita no alvorecer do século XX pela prefeitura do Rio de Janeiro, então ocupada por Pereira Passos, responsável pela abertura da Avenida Rio Branco e por inúmeras obras naquela via, inclusive o Teatro Municipal. O Ateliê Facchina forneceu ao Municipal algumas obras notáveis, em forma de medalhões musivos, que se encontram hoje muitíssimo bem preservados, a maioria no hall de acesso ao Salão Assyrio”.

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

O Salão

O restaurante Assyrio é todo revestido de cerâmica esmaltada, inspirado na arte da dinastia aquemênida (558 - 330 a.C.), que, por tradição, é chamada de assíria. O local está dividido em dois planos, o teto é baixo sustentado por colunas que têm como base cabeças de touro, em estilo persa.

Os azulejos franceses são inspirados nos magníficos relevos decorativos do Palácio de Dario I, O Grande, em Susa. À direita, o painel na parede mostra o imperador derramando um líquido sobre os leões que estão aos seus pés. No alto da parede, o friso dos leões remete aos famosos revestimentos da via processional da Babilônia, principal cidade da Mesopotâmia.

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico
Escultura "Héros maîtrisant un lion", no Theatro Municipal, e ao lado a escuiltura original, que está exposta no Museu do Louvre, em Paris,França

Por trás de espelhos decorados com detalhes art nouveau, ficam a copa e a cozinha. À esquerda, compondo o fundo para uma fonte, há um alto-relevo representando o herói Gilgamesh, rei da Suméria de caráter semi-lendário, que aparece asfixiando um leão, cujo original (Héros maîtrisant un lion) se encontra no Museu do Louvre, na França e que é o único detalhe puramente assírio da decoração.

Em frente, na parede oposta, há outra fonte, decorada por alto-relevo mostrando o imperador Dario apunhalando um gênio do mal, inspirado na decoração de seu palácio, em Persépolis.

O balcão dos bares, onde no passado tocou o grande mestre Pixinguinha, conta com relevos que representam nações submetidas pelos persas, seguindo a decoração dos túmulos de Nask-i-rustam.

Em frente está o salão, com molduras de pedra das portas gravadas com margaridas, a flor sagrada da Mesopotâmia, e encimadas por cornijas persas.

Os lustres têm inspiração islâmica; e as luminárias, nos espelhos entre as portas, são montadas sobre touros.

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

Após a reforma

Depois de dois anos e meio de obras, sendo 19 meses fechado ao público, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro foi reaberto em 26 de maio de 2010.

Com a reforma, o teto do Assyrio foi decapado, voltando a ter o tom original, que estava escondido por trás de uma tinta bege. Novas luminárias foram instaladas para iluminar mais o restaurante.

rioecultura : Salão Assyrio : Coluna Patrimônio Histórico

Atualmente no Assyrio funciona o Café do Theatro, que dá acesso para o Boulevard, o jardim do Theatro, novo espaço criado durante a reforma, com saída para a Av. 13 de maio.



Fotos recentes do Assyrio: Leo Ladeira

Fontes de Referência:
- Artigo ‘Gian Domenico Facchina: da Ópera de Paris ao Municipal do Rio’, por Henrique Gougon - publicado na revista eletrônica Mais Passeio / 2004.
- Wikipédia
- Guia Michelin
- Home Page Theatro Municipal
- Jornal O Globo
- Veja Rio
compartilhe subir a página
Postagens

Julio Biar [MPB]

Leo Ladeira [Patrimônio Histórico]

Marcelo Aouila [Teatro]

Seu nome:

Comentário:

Observação:
Verifique o texto antes de enviá-lo, pois não será possível modificá-lo ou apagá-lo após o registro.

ATENÇÃO: O seu comentário não será postado automaticamente. Ele passará por uma aprovação antes de ser publicado.



MATÉRIA MARAVILHOSA, O LUGAR É BELISSIMO!
  Postado por: REGINA CAVALCANTI
  em: 2011-04-21 11:35:44

Realmente o lugar é belíssimo e nos faz recordar um passado inesquecível. Suas fotos ficaram lindas e sua matéria idem!! Estive recentemente visitando o Teatro, na exposição dos painéis de Portinari e pude conhecer o Salão. Foi uma experiência magnífica!! Bjkss!!!
  Postado por: Regina Rodrigues
  em: 2011-04-22 01:01:48

Prezado Senhor, O chamado "Salção Assyrio" do nosso Theatro Municipal NÃO É, ou nada tem de "assírio" Trata-se de arte persa representando três elementos da Guarda Real do imperador Darius, Dinastia Aquemênida, em técnica de tijolos esmaltados no antigo Palacio de Susa, na Persia, Portanto "assýrio" nada tem a haver - e é outra região, na Mesopotamia, outro povo, outra raça. E para informação, PERSIA foi SEMPRE o nome do país até pouco mais de 30 anos. Agora é Iran. O mural do Municipal ainda amostra representação de leões e outros animais em lindas cores. Mas é bom lembrar que a denominação de "salão assýrio" é ERRADA e até depõe contra o Brasil. Será que o IPHAN sabe disso? Att. Evany Fanzeres
  Postado por: Evany Fanzeres
  em: 2013-06-08 11:49:46

Sou estudante do curso de GUIA DETURISMO do CIETH e não pude deixar de me encantar pelo Theatro Municipal e fiquei sabendo atraves da minha irmã que é turismóloga, que haverá uma apresentação do Madame Butterfly no dia 30/11/2014. Por favor me enviem os dados do espetáculo pois estou apaixonada pelo SALÃO ASSYRIO só de ver pela internet. Como moramos em teresópolis, quero saber de tudo com antecedencia para me programar. Muito obrigada.
  Postado por: Helena Braga
  em: 2014-08-11 18:52:06

NOVEMBRO de 2014
Dias 26, 28 e 29, às 20h
Dias 30, às 17h

MADAMA BUTTERFLY, DE GIACOMO PUCCINI
CORO E ORQUESTRA SINFÔNICA DO THEATRO MUNICIPAL E SOLISTAS CONVIDADOS

Madama Butterfly é uma ópera em três atos de Giacomo Puccini, com libreto de Luigi Illica e Giuseppe Giacosa, que conta a história de um tenente da marinha que se apaixona por uma gueixa. A ópera, que estreou no Teatro alla Scala, em Milão, em 17 de fevereiro de 1904, tem o libreto baseado na peça do norte-americano David Belasco, que por sua vez se inspirou numa história escrita pelo advogado também norte-americano John Luther Long.

SINOPSE
Numa época em que o Japão era um país quase totalmente isolado do resto do mundo, no século XIX, um presidente americano mandou uma expedição de reconhecimento a Sua Majestade Imperial, por volta de 1870, cujo intuito era forjar laços de amizade com o Império do Sol Nascente. Nas décadas que se seguiram, vários oficiais da marinha americana visitaram o Japão e se casavam temporariamente com jovens japonesas. A história de Cio-Cio-San (Butterfly, ou Borboleta), portanto, se baseia em fatos reais, e narra as trágicas consequências de um desses matrimônios contraídos com leviandade.

Música - Giacomo Puccini
Libreto - Luigi Illica e Giuseppe Giacosa
Direção cênica – Carla Camurati
Direção Musical e Regência - Isaac Karabtchevsky

PALESTRA FALANDO DE ÓPERA
Salão Assyrio - Avenida Rio Branco, s/nº
Entrada Franca, mediante a apresentação do ingresso (todos os dias da temporada, com início sempre 1h30 antes do espetáculo)
Duração: 60 minutos

Preços:
Frisas e camarotes – R$ 504,00
Plateia e balcão nobre – R$ 84,00
Balcão superior – R$ 60,00
Galeria – R$ 25,00
  Postado por: Rio&Cultura
  em: 2014-08-11 22:18:07


Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem:

Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura