rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
COLUNA PATRIMÔNIO HISTÓRICO
Leonardo Ladeira ladleo@gmail.com
rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Localizada em um dos bairros mais tradicionais do Rio, a pequena Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro é um marco na paisagem da cidade há mais de 250 anos e testemunhou todas as transformações que sofreu aquele trecho da cidade.

Todos que cruzam as avenidas do Aterro do Flamengo podem apreciá-la no alto da pequena colina, mas muita gente não sabe que a igreja é considerada uma jóia do barroco brasileiro.

Por sua posição privilegiada, o templo foi retratado por diversos pintores como Thomas Ender, Taunay e Debret, e fotógrafos como Marc Ferrez ao longo de toda sua existência.

Vamos conhecer hoje a história desse tesouro nacional.

Morro de Uruçumirim e a Capela Imperial

A elevação onde foi construída a Igreja de N.Srª da Glória está profundamente relacionada à história do Rio de Janeiro. Chamada inicialmente de Morro de Uruçumirim, situado à beira-mar, funcionava como base dos invasores franceses, que desde 1555 haviam se instalado na Ilha de Serigipe (atual Ilha de Villegaignon), com a missão de fundar a colônia da França Antártica no Rio.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Em 1560, com o objetivo de expulsar da Guanabara os invasores franceses e seus aliados tamoios, o Governador-Geral do Brasil, Mem de Sá, organiza um exército que invade e destrói o Forte Coligny, base dos franceses, que fogem para o território, levantando fortalezas como a do Morro de Uruçumirim.

E foi no antigo outeiro de Uruçumirim, em 1567, que travou-se a batalha definitiva dos portugueses contra os invasores franceses, quando Estácio de Sá foi atingido por uma flecha envenenada, vindo a morrer alguns dias depois.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Pouco mais de um século após a “pacificação” do Morro de Uruçumirim, um ermitão português de nome Antonio da Caminha ergueu, em 1671, uma pequena capela em devoção a Nossa Senhora da Glória. A igreja foi construída a partir de 1714. Em 1739, foi fundada a Irmandade, ao mesmo tempo em que foram concluídas as obras da Igreja.

Após sua chegada ao Rio de Janeiro em 1808, a Família Real Portuguesa caiu de amores pela Igreja da Glória. Ali foi batizada, em 1819, a primeira filha de D. Pedro I e D. Leopoldina, a princesa Maria da Glória, futura Rainha D. Maria II de Portugal. A partir daí todos os membros da Família Imperial foram batizados lá, incluindo D. Pedro II e a Princesa Isabel. Em 1839, D. Pedro II outorgou o título de "Imperial" à Irmandade, que passou a ser conhecida, a partir de então, como Imperial Irmandade da Nossa Senhora da Glória do Outeiro.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico
1895

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico
Década de 50

A Igreja da Glória ganhou, em 1965, um novo acesso, projetado pelo arquiteto Lúcio Costa. Segundo Sérgio e Henrique Fridman, “o percurso se adapta ao relevo natural do terreno, subindo-se pela rampa que inicia na Rua do Russell. O arquiteto usou as pedras da mureta da Praia do Flamengo, que foram retiradas durante a execução do Aterro do Flamengo, e usou para pavimentação da rampa”.

Arquitetura

A Igreja da Glória representa uma grande inovação na arquitetura colonial brasileira, sendo um dos raros exemplos no Brasil da escola barroca de Borromini.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Sua planta, atribuída ao Tenente-coronel José Cardoso Ramalho, consiste em dois octógonos irregulares, alongados e interligados. O templo possui três altares, capela-mor com corredor lateral e sacristia ao fundo.

Sobre o pórtico da entrada, formada por três arcos em cantaria, está a única torre, de formato quadrangular, com sineiras para cada face.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Na fachada sobressaem-se as pilastras de pedra nos ângulos das paredes, coroadas por pináculos, em contraste com as paredes muito brancas. Apesar da imponência arquitetural, transmite uma simplicidade e singeleza quase austeras.

A talha dos três altares é da concepção final do rococó, apresentando uma transição para o neoclássico. As pilastras, cimalhas e arcos duplos de cantaria produzem sensação de monumentalidade.

Patrimônio Artístico

O acervo artístico da Igreja da Glória é notável. Distinguem-se as imagens de N.Srª.da Glória (altar-mor), atribuída a Antônio da Cunha), Santo Amaro (altar-mor, à dir.) e São Gonçalo (altar-mor, à esq.).A imagem de N.Srª.da Glória apresenta-se com o Menino Jesus ao colo, com cetro e coroa de prata, vestida com trajes finamente bordados.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Dos elementos rococós, chamam a atenção as mísulas de suporte das colunas, onde se encontram cabecinhas de anjos. A igreja possui também lâmpadas em prata cinzeladas dos três altares, doadas por D.Pedro II.

Destacam-se também bacias dos púlpitos (em cantaria, final do século XVIII), o emblema do Império (sob o arco-cruzeiro), o medalhão da Virgem da Glória (portada principal) e, no lado externo, o adro de pedra, local antigo das festas da Glória, e de onde se tem uma visão privilegiada da Baía da Guanabara. Na parte dos fundos encontra-se uma antiga cisterna protegida por guarda-corpo de cantaria.

Na Sacristia encontram-se um arcaz de madeira (séc.XIX), um oratório com a Imagem da Virgem, pinturas representando os evangelistas, piso de mármore e pias de lioz português (século XVIII). A pintura do teto é do século XIX.

Durante o governo de Getúlio Vargas, a Igreja foi declarada "Monumento Nacional", e como tal tombada pelo Decreto-Lei de 25 de abril de 1937, que preserva os bens de valor artístico e histórico. O tombamento ocorreu a 17 de março de 1938, inscrito no Livro Tombo do Ministério de Educação e assinado por Rodrigo de Mello Franco de Andrade.

Painéis de Azulejos

Revestindo a parte interior das paredes da igreja, chamam a atenção os belos painéis de azulejos portugueses em desenhos monocromos azuis sobre fundo branco atribuídos ao mestre ceramista Valentim de Almeida, expoente do período do Barroco.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Os painéis da nave e do altar-mor foram executados entre 1735 e 1740, em uma composição barroca baseada no Cântico dos Cânticos, do Antigo Testamento. As peças retratam a apaixonada Sulamita, um pastor (seu amado) e um anjo num cenário de jardins.

Nos painéis do coro, executados de 1740 a 1745, figuram personagens do Antigo Testamento: Judas, Fares, Isaac, Aminabad, Aram e Naazan, sob fundo de paisagens.

Na Sacristia são vistos painéis de cenas profanas de caça.

Em 2002 tiveram início obras de restauração dos 62 painéis constituídos por cerca de oito mil azulejos da Igreja da Glória. O trabalho foi feito com base em projeto da Fundação Ricardo Espírito Santo, de Portugal.

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Antes da restauração, os azulejos se encontravam em mau estado de conservação. As peças estavam impregnadas de sujeira, resíduos de vela, microorganismos, cloretos, brometos, nitratos e gesso. Alguns estavam quebrados e outros foram trocados ao longo dos anos. Todos foram limpos e restaurados.

A restauração dos azulejos centenários da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro foi entregue em cerimônia, no dia 23 de junho de 2003, com a presença do então Ministro da Cultura, Giberto Gil.

Museu da Imperial Irmandade de N.Srª.da Glória do Outeiro

Inaugurado em 1942, com o nome de Museu Artístico, foi reorganizado e reaberto ao público em 1985. Possui um acervo de quase 1.000 peças catalogadas, composto não só por objetos usados na liturgia católica, como também por outros doados por fiéis em cumprimento a promessas feitas à Nossa Senhora da Glória, ou simplesmente por devoção. Entre os objetos expostos, destacam-se um cálice de prata dourada, oferta da Imperatriz D. Amélia; lâmpadas de prata doadas por D. Pedro II, telas de ex-votos, e pinturas de Felix Emílio Taunay e Bertichen. Funciona em uma construção assobradada nos fundos da Igreja.

Então não esqueça: vale a pena se programar e conhecer a pequena e singela Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro. Um domingo de manhã é um excelente dia para se visitá-la e apreciar a bela paisagem da Baía da Guanabara. Confira os horários abaixo e tenha um ótimo passeio!

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

rioecultura : Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro : Coluna Patrimônio Histórico

Por Leo Ladeira.


SERVIÇO
Praça Nossa Senhora da Glória, 135/204
Glória - Rio de Janeiro - RJ - Brasil
CEP: 22211-110
Telefones:
(21) 2225-2869
(21) 2557-4600
E-mail: irmandade@outeirodagloria.org.br

Horário das missas e funcionamento do Outeiro da Glória:

Missas:
Domingos: Às 9h e às 11h

Museu:
De 3ª feira à 6ª feira: Das 9h às 12h e das 13h às 16h Sábados e domingos: Das 9h às 12h

Secretaria e Visitação à Igreja:
De 2ª feira à 6ª feira: Das 9h às 12h e das 13h às 16h
Sábados e domingos: Das 9h às 12h


Fontes de Consulta:
- “Arquitetura Religiosa Colonial no Rio de Janeiro”. Sandra Alvim – Edit.UFRJ / IPHAN / Pref.do RJ - 1997
- “O Barroco Carioca”. Júlio César Machado - RioArte e GRD – 1987
- História do Bairro da Glória. Henrique Fridman e Sergio A Fridman – Barroso Produções Culturais – 2002.
- Guia Michelin Rio de Janeiro – Cidade e Estado
- Folder: “Igrejas do Centro Histórico do Rio de Janeiro”. IPHAN - Ministério da Cultura – 1997
- “Guia das Igrejas Históricas da Cidade do Rio de Janeiro”. Prefeitura do RJ - IPLAN Rio – 1997
- “Painéis do Século XVIII são restaurados no Outeiro. Múcio Bezerra. O Globo: 22/02/2002.
- Wikipédia
- Página oficial da Imperial Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Outeiro

Fotos Recentes: Alexandre Siqueira e Leo Ladeira.
compartilhe subir a página
Postagens

Julio Biar [MPB]

Leo Ladeira [Patrimônio Histórico]

Marcelo Aouila [Teatro]

Seu nome:

Comentário:

Observação:
Verifique o texto antes de enviá-lo, pois não será possível modificá-lo ou apagá-lo após o registro.

ATENÇÃO: O seu comentário não será postado automaticamente. Ele passará por uma aprovação antes de ser publicado.



Muito boa a matéria.
  Postado por: Ivanei
  em: 2010-09-03 09:14:53

Uma aula de história e de arquitetura! Parabéns pelas lindas fotos e pelo belo texto. O Rio de Janeiro merece a Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro. Vale a visita, como diria o guia verde Michelin. Obrigado!
  Postado por: Eduardo Sampaio
  em: 2010-09-03 09:36:25

Adorei a matéria. Como disse o Eduardo, uma aula de História! A Igreja e o Outeiro são lindos e que bom que constituem parte fundamental da formação da Cidade do Rio de Janeiro. Que venham outros 250 anos...
  Postado por: Alexandre Siqueira
  em: 2010-09-04 02:02:52

Realmente completa a matéria, texto e fotos. E que fotos! Acho que merece toda a divulgação possível. Abraços,
  Postado por: Célia
  em: 2010-09-04 19:23:37

Amigo, sou fascinado por esse igreja há quase 30 anos!!!
  Postado por: Parabéns
  em: 2010-09-05 22:39:52

Leo realmente seu olhar apurado nos faz enxergar os arredores em detalhes de muita beleza e sabedoria!
  Postado por: Ana Cristina Teixeira
  em: 2010-09-07 15:19:29

que massa
  Postado por: vitoria
  em: 2010-11-08 16:36:51

Vle a pena ver , conhecer e aprender sobre o legado de nossos antepassados. A Igreja respira séculos, está austera, elegante,inconfundível no panorama visual do Rio de Janeiro.
  Postado por: Yara
  em: 2012-03-10 00:59:25

Vle a pena ver , conhecer e aprender sobre o legado de nossos antepassados. A Igreja respira séculos, está austera, elegante,inconfundível no panorama visual do Rio de Janeiro. 2012 - 10 - 03
  Postado por: Yara
  em: 2012-03-10 01:01:21

Parabéns pelo artigo! Sou apaixonada pela Igreja de N.S. da Glória do Outeiro, desde a época de estudante de arquitetura. Quando em 2010, a provedora Magali Rennó me convidou para fazer o projeto de renovação do museu, aceitei imediatamente e doei meu trabalho para N.S. da Glória. A empresa Lafarge juntou-se a nós e contribuiu com a doação de placas de gêsso acartonado e com o teto de gêsso acartonado acústico. Vc. pode ver as fotos do novo museu no meu site http://home.ism.com.br/~mrvianna. O museu além de contar a história da nossa cidade, mostra a fé do povo carioca, que doou grande parte das peças do acervo do museu à N.S. da Glória. Vale a pena divulgar, no próximo ano o Rio vai receber a Jornada da Juventude, evento importante não só para nós católicos mas para todos os cariocas, depois a copa e as olimpíadas, é muito bom mostrar além da beleza natural a cultura da nossa cidade. Abraços.
  Postado por: Maria Regina de Mello Vianna
  em: 2012-09-08 15:03:25

Sou aluno de turismo e vou ter uma prova oral nesta belíssima igreja...Tenho certeza que os dados recolhidos aqui vou ganhar uma bela avaliação. obrigado
  Postado por: Helio Carvalho da Fonseca
  em: 2013-06-21 11:20:25

Linda história
  Postado por: Nélson Rodrigues
  em: 2016-09-05 18:51:24


Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem:

Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura